-

Eu amo livros nacionais - Gisa Tavares


Olá meus queridos, tudo bem com você? Eu sei que alguns estão perguntando: Camila por onde você andou? E gente eu estou tentando me adaptar com o tempo porque ler, fazer resenha, estudar está meio difícil, já passei pela semana de provas e se quiserem saber minhas notas foram ótimas e estou muito feliz, epero que compreendam minha situação em nenhum momento queria abandonar o blog. Voltando ao post escolhemos mais uma escritora nacional, já me encontrei com ela, mais infelizmente não li seu livro ainda (isso vai mudar logo), bom a Gisa é uma pessoa incrível, ela divertida e muito amiga, sempre pronta ajudar quem precisa. Então espero que conheçam um dela e do seu primeiro livro :)

REDES SOCIAIS DA AUTORA


1. Se pudesse trazer algum dos seus personagens a vida qual seria e porque?
Com toda certeza,  se eu  pudesse trazer um dos meus personagens a vida, traria o Daniel.
Se perfeição existisse,  se chamaria Daniel.
O Dan é aquele cara bonito mas não tanto, tem um sorriso que deixa qualquer pessoa hipnotizada, ele é a mistura de delicadeza e brutalidade,   é doce e azedo, é erro e acerto. Ele  é aquele tipo de pessoa que vive e morre por amor,  e no final,  não é a beleza, o dinheiro, o romantismo, o sorriso e nem nada disso que o torna especial.  O que faz ele ser único é o seu coração. Gostaria que toda mulher, encontra-se o seu Daniel.

2. Quando começou a escrever seu primeiro livro você imaginou que ele seria publicado e que estaria sendo  lido por muitos leitores?
Publicar meu livro sempre foi um sonho,  queria que o mundo conhece M.E.P,  mas constantemente tinha minhas dúvidas de que um dia iria de fato publica-lo. É surreal ver as pessoas comprando o meu livro e ver o retorno de quem já leu. Sinto-me como uma mãe,  que solta seu filho no mundo. M.E.P é meu filho, e morro de orgulho de ver que o que criei com todo amor, está conquistando um lugarzinho no coração e na estante das pessoas.

3. Na criação dos personagens você teve alguma dificuldade ou eles foram inspirados em conhecidos?
Tive  problemas com o Thiago e com a Ana,  pensei em várias coisas para eles, porém sempre que ia escrever, eles criavam vida e brigavam comigo para ir por um rumo diferente. Agora os outros personagens,   eu sabia exatamente como eles seriam, todos tem um pouquinho de cada pessoa que já passaram pela minha vida e um pouco de mim, seja nas qualidades ou nos defeitos.

4. Você acha que por ser autora nacional as dificuldades são maiores? Tanto no mercado quanto com os leitores.
Infelizmente sim, apesar de a aceitação da literatura nacional estar cada dia melhor,  ainda tem muitas pessoas que deixam de ler uma obra de autores nacionais, por preconceito.
Não julgo o leitor, isso é apenas um reflexo da mídia e do pensamento errado de algumas pessoas,  temos a mania de idolatrar o que vem de fora e desvalorizar o que é nosso.
Mas isso aos poucos está mudando, acho que o que muitos enxergam como dificuldade, eu vejo como motivação. E para mim, tudo que vem fácil,  não é valorizado da forma correta,  por isso, se um autor nacional faz sucesso, é porque ele realmente mereceu e fez por onde.

5. Como você se sentiu quando recebeu uma mensagem positiva de um leitor pela primeira vez? 
Eu chorei. Quem me conhece, sabe que eu sou uma manteiga derretida, e quando recebi a primeira mensagem de um leitor dizendo que tinha gostado do meu livro, eu surtei e me afoguei em lágrimas . É indescritível a sensação de ver o seu sonho, a história que criou com todo amor do mundo, fazendo alguém sorrir. Quando decidi levar a sério a escrita, não fiz isso para ser famosa ou para ganhar dinheiro,  escrevi M.E.P com o objetivo de arrancar sorrisos das pessoas, de fazer elas se identificarem com algum dos meus personagens ou com algum acontecimento do livro e ver que atingi meu objetivo,  é a melhor sensação do mundo.

6. Já teve vontade em algum momento de desistir do livro e começar do início?
Sim, muitas vezes. Na verdade,  eu cheguei a desistir duas vezes do M.E.P.
Eu sempre fui uma pessoa muito sentimental e emotiva e pra ajudar, eu tenho um grande defeito,  eu nunca termino aquilo que eu começo, sempre algo me desanima e me faz desistir.
Mas com o meu livro, aconteceu algo engraçado,  por mais que eu tentasse abandona-lo, a história me perseguia, até que chegou um momento em que  não resisti mais, respirei fundo e jurei que terminaria ele e que o  lançaria um dia. E aqui está ele, e graças ao amor recíproco entre o M.E.P e eu, pela primeira vez em muito tempo, consegui finalizar algo do jeito que eu queria.

7. Você sempre quis escrever o gênero romance? Pretende se arriscar em outros?
Na verdade, eu nunca pensei no tema ao escrever, eu simplesmente escrevia. Eu sempre escrevi, desde muito nova, escrevia poesias, crônicas,  fantasia, ficção, mas foi o romance que me motivou. Sou uma romântica incorrigível,  e escrevendo esse gênero,  tenho a oportunidade de fazer pessoas terem finais  felizes (ou nem tanto) e amores impossíveis e/ou improváveis se tornarem realidade.
Posso e quero escrever vários gêneros,  mas em todas as minhas histórias,  o essencial, sempre será o amor,  porque sem amor, não somos nada.

8. Tem alguma mensagem para futuros escritores?  
Tenho sim. Nunca desistam. Vai ser difícil,  vai ser cansativo,  vai ter horas em que vai ter vontade de deletar tudo e esquecer isso, vai ter vezes em que vai duvidar do seu talento. Vai ter hora em que terá medo e irá querer fugir.
A minha primeira dica é,  nunca deixe que nada nem ninguém te desanime e faça você desistir.
Nunca pense que você não é bom o bastante, quando acreditamos em nós mesmos,  podemos fazer o impossível se tornar realidade.
E a última  e a mais preciosa delas, tudo que você fizer, faça com amor. O amor pode tudo e quem faz as coisas com amor,  cedo ou tarde, tem o retorno esperado.

Sinopse: Jullyanna vivia um conto de fadas até que ela descobre que o seu príncipe perdeu o encanto e voltou a ser um sapo, transformando sua vida perfeita em um pesadelo. Decidida a nunca mais se apaixonar, e certa de que o amor não existe, ela jura a si mesma que manterá distância do sexo masculino. Tudo está indo perfeitamente bem até que Daniel entra em sua vida. A partir desse momento, ela se vê sem saída e acaba cometendo uma sequência de erros. O que ela não esperava, era que um desses erros, se tornaria o seu erro predileto.



Esse foi eu amo livro da semana, fique ligados nas redes sociais do blog, vamos postar mais sobre Meu erro predileto, um beijos e até a próxima galera ->

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



Layout: Natana Duarte | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©